Português

O sentimento de pertença à universidade como uma questão de acessibilidade: contribuições de uma Psicologia Socioambiental

O sentimento de pertença à universidade como uma questão de acessibilidade: contribuições de uma Psicologia Socioambiental

Orientador: Zulmira Áurea Cruz Bomfim
Autor Principal: Andersson de Castro Lima
Coautor: Fábio Pinheiro Pacheco

O presente trabalho refere-se a atuação do “Programa Vida no Campus: Afetividade, Acessibilidade e Sustentabilidade”, aportado no Laboratório de Pesquisa em Psicologia Ambiental (Locus), na Universidade Federal do Ceará (UFC). O Programa existe desde 2006 e, ao longo de sua existência, eixos de trabalho foram incorporados, como é o caso da acessibilidade. Objetivamos explanar sobre as bases teóricas que fundamentam as intervenções do Programa junto ao público universitário. Adotamos como metodologia levantamento bibliográfico a partir dos relatórios do Programa enviados à Pró-Reitoria de Extensão da UFC, bem como em dissertações produzidas por membros do Locus. Partindo de uma Psicologia Social de vertente Histórico-Cultural, acreditamos que a pessoa com deficiência está inserida em um contexto social e histórico, sendo sua vivência perpassada pelos significados construídos socialmente. Além disso, a partir das categorias da Psicologia Ambiental, podemos perceber como a pessoa percebe e interage com o ambiente em inter-relação e como essas interações são atravessadas pela questão de ser pessoa com deficiência, sem recair na metonímia de tomar o sujeito como sua deficiência e rompendo com a díade normal-patológico. Assim, consideramos como fundamental a difusão de um olhar emancipador e não reducionista sobre as questões da pessoa com deficiência e da acessibilidade, bem como um pensar dialético que desvele as minúcias dos processos de exclusão/inclusão.