Português

Sala das sensações: o mundo no escuro

Sala das sensações: o mundo no escuro

Autor Principal: Antônio Alessandro Teles de Sousa
Co-Autor: Brenda Kelly de Queiroz Silva; Isabelle Sousa Muniz
Orientador: Marjorie Mayara Félix da Silva

Existem milhares de pessoas portadoras de deficiência visual, sofrendo preconceito e sendo excluídas de inúmeros contextos sociais. Essa discriminação parte da falta de conhecimento sobre a rotina dos não videntes e na falta de crença na capacidade destes. O presente trabalho buscou exemplificar situações vividas por pessoas não videntes, partindo da insensibilidade de vários estudantes em relação às pessoas com deficiência. A Sala das Sensações teve o objetivo de simular a rotina dos deficientes visuais e sensibilizar os alunos da Escola Profissional Prof.ª Abigail Sampaio, em Paracuru, proporcionando novas percepções através de experiências sensoriais, além de promover o autoconhecimento. Antes de entrarem na sala, os alunos foram descalços e vendados. Foram realizados experimentos os sentidos do tato, audição, paladar e olfato, colocando à prova a percepção sensorial de cerca de 300 visitantes. Por fim, os alunos preencheram um questionário sobre suas experiências pessoais durante o percurso. Percebeu-se grande dificuldade para realização do roteiro, mesmo com o auxílio de guias. Através do questionário, ficou evidente a sensibilização dos estudantes, os quais ficaram surpresos com as próprias reações durante os experimentos. Assim, conclui-se que, através da Sala das Sensações, as pessoas passaram a respeitar mais as limitações de pessoas com deficiência e compreenderam que as pessoas não videntes são perfeitamente passíveis de inclusão, merecendo mais oportunidades.

Palavras-Chave: Sentidos; Deficiência visual; Simulação; Sensibilização; Respeito.